quarta-feira, 5 de junho de 2019

Canyon Del Colca

Dia 21/05/2019 – Canyon Del Colca. o 2º maior canyon do mundo

Acordamos por volta das duas da manhã para ir para o passeio. Quando cheguei na recepção, o responsável estava dormindo. Os cachorrinhos que o acordou, haha. Gente boa o cara. Falou que a van já estava chegando. Uns 10 minutos depois a van chegou. Entramos nela e já tinha algumas pessoas dentro. Pegamos a estrada para o Canyon Del Colca. Uma ótima guia com a gente.
Chegamos em Chivay e lá fizemos o nosso “desayuno”. Ali comecei a gravar no wikiloc. O caminho feito pode ser visto aqui clicando aqui.

Powered by Wikiloc

Mais um pouco de estrada e chegamos em Maca. Ali da para tirar fotos com um gavião e com lhamas. Além, claro, de fazer compras. A guia falou que Maca é a cidade mais vulnerável do Canyon Del Colca porque é a mais afetadas pelos terremotos e isso também porque o seu terreno tem muita água subterrânea. Além disso, é a mais próxima dos vulcões e acaba sofrendo com as cinzas que eles soltam. Disse também que é um povoado guerreiro. Não aceitaram muito o domínio dos Incas e nem dos Espanhóis. Maca-Maca significaria algo como luta-luta, se não me engano.


Mais alguns minutos depois e chegamos no primeiro mirante do canyon. Perto de um túnel. Muito bonito.

Tunel

visual do cânion


namorada é uma boa fotógrafa




Ali teve um pequeno deslizamento de pedras que me deu um susto como pode ser visto no vídeo acima. Cheguei a achar que seria início de um terremoto, mas não foi nada. Entramos mais uma vez na van e fomos até o mirante del Condor para ver os Condores sobrevoando.







Os condores nada mais são que urubus dos andes. A mesma coisa, hahaha. Comem coisas podres igualzinho. Aparência igualzinha... são urubus dos Andes. Conhecido o lugar, entramos na van mais uma vez e voltamos para uma tenda próxima ao mirante onde tinha o túnel. Ali provamos uma fruta endêmica que parece kiwi, mas com aparência de uma laranja. San Caio o nome. Neste mesmo local é possível ver a nascente do rio que vai até o rio Amazonas.


Provando a fruta san caio

Mais uma vez na van, voltamos até o local onde tínhamos feito o café da manhã, mas dessa vez para almoçar. Parei de gravar no wikiloc ali porque achei que o passeio já tinha acabado. Me enganei. Teve mais três paradas e foram MUITO legais.

A primeira parada foi em umas águas termais que tem por ali. Até que é bonitinho, mas nada d+. Não quis entrar porque achei bem caro só para entrar numa água quente. Não é a minha praia.


ficamos nesse rio matando o tempo

os banhos termais



A segunda parada depois do almoço foi num lugar/mirante onde era possível ver todos os vulcões num 360 bem legal. Vários vulcões, porém o lugar ali é BEM frio. Venta bastante também.









A terceira parada foi num lugar cheio de lhamas, alpacas e vicunia.

as lhamas e eu



Estava um pouco frio e Lais nem quis sair da van.
A quarta e última parada depois do almoço foi num lugar que tinha a bandeira do Peru e o vulcão Misty atrás.




Ali é possível fazer algumas compras também, para quem quiser. Depois disso, entramos na van e pegamos a estrada de volta para o centro de Arequipa. Lembrando que todo o passeio é no território de Arequipa. A cidade é gigante! No caminho, se passa perto de uma indústria.
De volta à cidade, fomos para o hostel. Tomamos banho e descansamos um pouco. Olhei no maps.me e resolvemos ir comer em um tal de “la dispensa”. Era bem recomendado no aplicativo. Demoramos um pouco para achar, mesmo com o mapa. Ao chegar lá, achamos os preços uns pouco altos. Uma pizza pequena estava cara. Fomos para outro restaurante/pizzaria e também achamos o preço um pouco alto, mas resolvemos ficar por ali mesmo. Acho que a fome começou a falar mais alto que a vontade de economizar.

Compramos também um doce, tipo amanteigados, que tinha diversas lojas em Arequipa. A gente pensou:
- Poxa, tem umas 5 lojas dessas aqui em Arequipa. O negócio deve ser bom. Vende bastante, é lucrativo e consegue manter as 5 lojas pelo menos. Vamos provar que deve ser bom.

Nos enganamos. Muito sem graça. Se fosse baratinho, tudo bem. Mas o doce era uns 9 soles e não valia nem 2, hahaha. Muito sem graça.
Com o barrigão cheio da pizza, e conhecido um pouco da noite de Arequipa, voltamos para o hostel, pagamos a nossa estadia e fomos dormir porque o dia seguinte era a volta para Lima.

Nenhum comentário: